Pages

Qual a importância do corpo na arte contemporânea

O corpo humano foi uma das primeiras representações artísticas conhecidas. Na Idade Antiga, o que predominava na arte era o antropocentrismo, onde as obras realçavam a beleza do corpo humano e colocavam nós, os seres humanos, como o centro do universo. O tempo passou, mas o nosso corpo ainda é muito utilizado dentro da arte em diversas maneiras. Descubra agora qual a importância do corpo na arte contemporânea! Qual a importância do corpo na arte contemporânea: o corpo como uma representação artística Conheça qual a importância do corpo na arte contemporânea, enxergando-o como um papel fundamental na criação artística. Desde sempre o corpo teve um importante papel na criação das artes. Entretanto, a partir da metade do século XX, com a chegada da Arte Contemporânea, a sua presença se tornou ainda mais intensa e motivadora. As novas metodologias de arte provocaram uma mudança radical nos diversos contextos culturais, aumentando o espaço do meio artístico e as diferentes linguagens de arte. O cinema, a dança, o teatro e as diferentes performances, por exemplo, vieram inovar o mundo dos artistas. As diferentes artes citadas acima podem transmitir diferentes sentimentos para os consumidores culturais e para os próprios artistas. Uma nova forma de linguagem artística foi criada, a qual tem como base o corpo humano para transmitir a mensagem desejada ao público. Para entender qual a importância do corpo na arte contemporânea é preciso entender os diferentes tipos de artes que temos nos dias de hoje – tais artes que representam a Arte Contemporânea. Body Art Depois de entender qual a importância do corpo na arte contemporânea, que tal conhecer um pouco sobre a arte que usa o corpo como o meio para transmitir a sua mensagem desejada? O Body Art ou Arte Corporal é o termo usado para se referir ao tipo de arte feita no corpo humano. Esse tipo de arte abrange as tatuagens, os piercings, as escarificações e a pintura corporal. A tatuagem é umas das formas de modificação corporal e o Brasil está entre os 10 países com pessoas que mais se tatuam. Nessa linguagem artística, o corpo é usado como uma tela para pintura. Pigmentos são adicionados na primeira camada de pele, criando um desenho. Em antigos restos humanos mumificados é possível observar tatuagens preservadas, indicando que a prática está presente no mundo há muito tempo. O body piercing é outra forma de arte corporal, onde a prática inclui a perfuração do corpo humano para a inserção de joias. Assim como as tatuagens, os piercings foram encontrados em restos humanos mumificados – em forma de brincos nas orelhas – há 5 mil anos. Já os piercings de nariz foram documentados em 1500 a.C. e os piercings de lábio ou língua apareceram, primeiramente, no Oriente Médio. As expressões relacionadas ao body piercing podem representar uma cultura religiosa ou uma expressão individual. A escarificação é uma técnica em que cicatrizes são produzidas propositalmente no corpo através de instrumentos cortantes. Esse tipo expressão inclui os arranhões, as queimaduras, marcas ou cortes de desenhos, imagens ou palavras. Ela é muito usada para mostrar a resistência à dor, mas em algumas culturas, como na África, tal procedimento é utilizado como um padrão de beleza para as mulheres. Em outras tribos, as cicatrizes podem servir para fins medicinais, espalhados através das crenças, ou para identificar os diferentes povos de uma mesma região, por exemplo. E a pintura corporal é o termo utilizado para a arte pintada diretamente na pele humana. Diferente das demais expressões artísticas vistas acima, a pintura corporal é temporária, podendo durar horas ou até mesmo semanas – como as tatuagens de henna, por exemplo. Normalmente, a pintura do corpo todo é chamada de pintura corporal e os demais trabalhos, geralmente mais detalhados, são chamados de tatuagens temporárias. Para designar qual a importância do corpo na arte contemporânea, também é necessário aprender as diferentes culturas ao redor do mundo. Em muitos casos, a arte pode ser usada apenas como um ideal de beleza e estética. Entretanto, em alguns casos, pode servir para identificar diferentes tribos e para fins medicinais, assim como pode ser apenas pela liberação de endorfina durante o ato, permitindo uma maior a sensação de euforia. Marcel Duchamp: o percursor da arte corporal Marcel Duchamp foi o percursor da arte corporal ao começar a questionar os limites do conceito e do próprio modo de fazer a arte. O artista francês ficou conhecido como pintor, escultor, jogador de xadrez e escritor. Ao lado de Pablo Picasso e Henri Matisse, Marcel Duchamp é um dos três artistas que colaboraram na revolução das artes plásticas no início do século XX. Qual a importância do corpo na arte contemporânea: conheça os benefícios dos diferentes tipos de artes no corpo humano A arte contemporânea permite a expressão da individualidade, ajudando cada indivíduo a enfrentar a sua dor com maior seriedade. Depois de ler sobre qual a importância do corpo na arte contemporânea, conheça os principais benefícios da arte contemporânea no corpo humano: Alívio da tensão Alívio da ansiedade Alívio do estresse emocional Promove a estabilidade de doenças crônicas Estimula a criatividade Melhora a autoestima Melhora a memória Aumenta a concentração

Tipos de arte: fique por dentro!

Você sabia que existe uma variedade enorme de expressões artísticas? Não é de hoje que a sociedade humana procura diferentes meios para se expressar. Conheça agora quais são os diferentes tipos de arte e o que é, de fato, a arte. O que é arte? O conceito do termo “arte” refere-se a uma expressão de um ideal estético, isto é, um ideal de beleza. Existente em todas as culturas, os diferentes tipos de arte são uma manifestação humana universal e cada obra de arte transmite uma diferente ideia, crença, sentimento ou emoção ao consumidor cultural. Um consumidor cultural é aquele indivíduo que consome diferentes tipos de arte ativamente – através da leitura de livros ou ao ouvir uma música, ao frequentar diferentes eventos culturais, como os espetáculos de dança, teatro, exposições, por exemplo e muito mais! A arte ao longo das Idades da História Novos tipos de arte surgem no decorrer do tempo. Por isso, a seguir, você vai ter acesso a alguns dos principais tipos de arte que existem nos dias de hoje. Para introduzir o assunto, vamos relembrar alguns pontos interessantes sobre a arte. O ideal do que é considerado belo muda entre as gerações e, com isso, diferentes períodos da história marcaram a evolução dos tipos de arte ao longo dos anos. Devido a separação da história em Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea, a arte foi dividia como: arte antiga, arte medieval, arte moderna e arte contemporânea. Os diferentes tipos de arte de acordo com as Idades da História: A Arte Antiga é caracterizada pelo antropocentrismo, ou seja, é a arte que enxerga o ser humano como o centro do universo. Além disso, era bastante focada no realismo e tentava sempre ressaltar a beleza do ser humano. Já a Arte Medieval focou em dois estilos artísticos distintos: o gótico e o romântico. Retratava figuras religiosas e era bastante usada em manuscritos e murais. Na arquitetura, a Arte Medieval ficou caracterizada pela utilização de arcos em formato ogival, com grandes janelas e paredes altas, iluminando bastante o interior dos ambientes. A Arte Moderna começou entre o final do século XIX e o início do século XX. Essa arte deu início ao período que abrangeria as novas formas de fazer arte, incluindo as fotografias e o cinema, por exemplo. Gosta de promover os temas do cotidiano, utilizando muitos elementos novos e diferentes técnicas. Foi nesse período que aconteceu o desapego as regras formais da literatura – a ausência de pontuação, por exemplo. Os artistas procuraram quebrar as regras a fim de encontrar um novo estilo que seria capaz de expressar a vida moderna. Por fim, a Arte Contemporânea abrange as novas metodologias de arte, sendo representada por uma sociedade da informação, com muita tecnologia e novas mídias. Surgiu entre a segunda metade do século XX e o início do século XXI e é o tipo de arte dos dias atuais. Os principais tipos de arte que existem Vamos conhecer agora quais são os principais tipos de arte que temos nos dias de hoje! Música: arte relacionada aos sons. Esse é um dos tipos de arte mais antigas e está datada desde a Pré-História. Inclui o uso de instrumentos e as vozes. A música evoca diferentes emoções e promove a dança, outro tipo de arte presente em nossas vidas há muito tempo. Dança: essa manifestação artística é representada pelos movimentos corporais conforme um ritmo de uma música. Pintura: a pintura também está presente na sociedade e representa a manifestação de muitas técnicas e estilos distintos. Existe uma ampla variedade de opções para as pinturas, como as rupestres e as corporais, por exemplo. Esculturas: através da manipulação de diferentes materiais, as esculturas são construídas. Durante a Grécia Antiga, essa manifestação artística se tornou muito importante e até hoje é visto como um elemento histórico do período. O Teatro, a Literatura, o Cinema e a Fotografia também são exemplos incríveis e super atuais dos tipos de arte presentes em nossa sociedade – alguns há mais tempo, outros mais recentes. Um dos tipos de arte mais atuais é a Arte Digital, surgindo em torno na década de 80 ao lado do início da popularização dos computadores. Essa expressão artística engloba os vídeos, as animações, edições gráficas, projeções 3D e muito mais! Os principais tipos de arte que existem: principais movimentos da Arte Contemporânea Então já sabemos que a arte atual é representada pela Arte Contemporânea, a qual embarca em alguns movimentos atuais. Alguns dos principais movimentos da Arte Contemporânea: Arte Cinética Arte Digital Arte Urbana Body Art Fotografia Fotorrealismo E não para por aí! Os diferentes tipos de arte da atualidade abrangem diferentes tipos de expressões muito mais criativas, incluindo a grafitagem, o videoarte, o minimalismo e a arte eletrônica, por exemplo.

Galeria de Arte Casino Estoril

A Galeria de Arte Casino Estoril, situada em Portugal, é a segunda galeria de arte mais antiga do país. Com visitação nas exposições individual e coletiva, a Galeria de Arte Casino Estoril está aberta ao público todos os dias. A seguir, você vai ter acesso ao que o Casino Estoril tem a oferecer, incluindo a Galeria de Arte Casino Estoril e a algumas outras informações interessantes relacionadas ao tema! Galeria de Arte Casino Estoril: o que o Casino Estoril tem a oferecer ao público? Conheça os principais pontos e o que o cassino tem a oferecer ao seu público! Salão Preto e Prata É o maior espaço oferecido pelo cassino, ideal para grandes banquetes e convenções, com a sua capacidade máxima de mil pessoas, aproximadamente. Nesse salão, é possível ter uma vista do enorme jardim no espaço Foyer Panorâmico, sendo considerada a melhor vista do Casino Estoril. Galeria de Arte Inaugurada de agosto de 1958, a Galeria de Arte Casino Estoril é a segunda galeria portuguesa mais antiga – como foi visto na seção anterior. Passou por uma grande renovação em 1980, a fim de disponibilizar as principais características que faltavam para cumprir as normas internacionais de apresentação. Bares e Discotecas Lounge D O bar Lounge D é um inevitável ponto de passagem, servindo como a porta de entrada do cassino. JackPot Está próximo as máquinas de caça-níqueis, é conhecido como o Bar da sorte das Slot Machines. Blackjack É um bar mais reservado que está situado dentro da sala de Jogos Tradicionais. Play Garden Os melhores coquetéis perto das máquinas automáticas. CasaBlanca Bar Ideal para quem quer um ambiente mais descontraído. Jézebel Inaugurada em 2004, a discoteca está localizada em uma das mais antigas salas de jogos do cassino. Tamariz Temporariamente fechada, a Tamariz é o espaço ideal para você passar o seu verão; situada em frente à praia. Restaurantes Mandarim Ambiente informal e de alta gastronomia. Zeno Lounge Ambiente elegante e descontraído. Bistrô Melhores especialidades da cozinha tradicional portuguesa. Praia do Tamariz Restaurante a beira mar e com música ao vivo. O auditório oferece espetáculos pequenos e médios, incluindo concertos, cinema e peças de teatro. Tem capacidade para 385 pessoas, servindo como um espaço para congressos, reuniões e cerimônias especiais. E o espaço Reverse® Anti-Aging Center oferece diferentes terapias para um corpo são, de hábitos saudáveis e para uma aparência estética jovem e bonita. Galeria de Arte Casino Estoril: conhecendo a galeria Na programação anual da Galeria de Arte Casino Estoril, são três coletivas que se destacam: Salão de Primavera para finalistas e recém-licenciados das Faculdades de Belas-Artes de Lisboa e Porto, normalmente, acontecendo no meio do ano, entre os meses de maio e junho. Salão Internacional de Pintura Naif, o qual acontece em agosto. Salão de Outono, que ocorre entre novembro e dezembro. Atualmente, devido à pandemia da COVID-19, a Galeria de Arte Casino Estoril solicita a apresentação do Certificado Digital COVID da União Europeia ou o teste com o resultado negativado. Além disso, é obrigatório o uso de máscara dentro do estabelecimento. O horário de funcionamento da Galeria de Arte Casino Estoril é das 15h às 03h, todos os dias da semana. O encerramento da galeria é dia 24 de dezembro. O local conta com os serviços de: Bengaleiro Tabacaria Multibanco, que é uma rede portuguesa de caixas e terminais de pagamento automáticos. Ponto de Táxis A Galeria de Arte Casino Estoril também está preparada para receber pessoas com mobilidade reduzida. Outros cassinos importantes em Portugal Ainda que os cassinos online estejam se tornando mais populares com o passar dos anos, ainda existem alguns cassinos que são importantes em Portugal como o Estoril Casino. O Casino Espinho é uma referência na área do entretenimento desde 1974, ficando apenas a 15 minutos de distância da cidade do Porto. O Casino Lisboa é um dos maiores cassinos de Portugal e foi inaugurado em 2006. O Casino da Póvoa foi estreado em 2001 e está situado em um prédio da década de 30. Estoril-Sol Em junho de 1958, a empresa portuguesa Estoril-Sol foi constituída por José Teodoro dos Santos. Seu objetivo principal era a exploração do Casino Estoril. Atualmente, a empresa é uma sociedade controladora de outras empresas, principalmente em cassinos físicos – como o Casino Estoril, Casino Lisboa e Casino da Póvoa por exemplo – e em alguns jogos de azar de cassino online, onde começou a operar no início do segundo semestre do ano de 2016 e em apostas esportivas em 2017.

Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía

Inaugurado em 1992, o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía está localizado na capital da Espanha, em Madrid. Em uma ode à arte, a instituição autônoma é dependente do Ministério da Cultura e faz parte do Triângulo de Ouro da Arte de Madri. Nesse triângulo, os museus inclusos são, além do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, o Museo Nacional do Prado e Museo Nacional Thyssen-Bornemisza. A história do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía Desde a sua inauguração, são 30 anos de museu. Antigamente, o principal edifício constituía um antigo hospital da região, no século XVIII. O espanhol, José de Hermosilla, foi o primeiro arquiteto a projetar o edifício do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, seguido por Francesco Sabatini – um arquiteto italiano que desenvolveu grande parte do seu trabalho na Espanha. O ano de 1980 foi marcado como um ano de grandes mudanças e renovações e, depois de oito anos, parte do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía começou a receber as visitações públicas. Também em 1988, o museu foi definido como museu nacional do país. Serviços oferecidos pelo museu nacional Durante a sua visitação, você vai usufruir de alguns serviços disponibilizados pelo Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía. Veja a seguir uma lista com as principais atividades oferecidas no local: Serviço de elevadores Cafeteria e restaurante Armários inteligentes (os lockers). Livraria Loja para compras Quartos específicos para a troca de fraldas e roupas de bebês Além disso, o local oferece free WI-FI para os visitantes e tours com guia, além de alguns pontos com informações sobre o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía. Principais obras no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía Nos dias de hoje, o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía conta com uma extensa coleção de obras de excelentes artistas do século XX. O museu é considerado um dos mais importantes museus de arte moderna do continente europeu. Além disso, sua biblioteca abrange mais de 100 mil livros e documentos, mais de 3 mil gravações sonoras e em torno de mil vídeos, tornando-a em uma biblioteca especializada em arte. A seguir, veja os principais artistas e algumas de suas obras que estão presentes no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía. Picasso: um dos 3 artistas que mais fez desenvolvimentos revolucionários nas artes plásticas. Foi um pintor, escultor, ceramista, cenógrafo, poeta e dramaturgo espanhol, mas viveu a maior parte de sua vida na França. Guernica A Mulher de Azul Minotauro acariciando uma mulher adormecida Cabeça de cavalo Eusebio Sempere Juan: um dos mais famosos escultores e pintores espanhóis Sem Título Salvador Dalí: conhecido pela combinação incrível de imagens bizarras e de ótima qualidade plástica, Dalí foi um importante pintor espanhol de trabalho surrealista. O Grande Masturbador O homem invisível Arlequim E outros grandes artistas, como Benjamín Palencia, Eduardo Chillida, Jacques Lipchitz, José Clara, Juan Gris, Juan Miró, Mateo Inurria, Pablo Gargallo e Rafael Barradas. Você tem acesso ao Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía gratuitamente às segundas, terças, quartas e sextas-feiras e aos sábados. As entradas para a Coleção e exibições temporárias custam apenas €10. O prédio do museu O Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía está inserido em um prédio de arquitetura neoclássica, em Atocha – a antiga unidade hospitalar, conhecida como Hospital San Carlos, desde o século XVI. Felipe II, o rei da Espanha, escolheu centralizar diversos hospitais dispersos pela Corte e, a partir do século XVIII, o Carlos III – outro rei do país – ampliou o edifício, como foi visto na seção anterior sobre A história do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, ao lado dos arquitetos José de Hermosilla e Francesco Sabatini. Depois de muita mudança, o hospital foi fechado em 1965. 12 anos depois, o local foi declarado como Monumento Histórico-Artístico, em 1977. Assim, em 1986, o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía foi inaugurado e utilizava o primeiro e segundo piso para exibições temporárias. Em 1988, dois anos depois, foi criado três poços de elevador de vidro e aço pelo arquiteto inglês Ian Ritchie. A Coleção Permanente só foi inaugurada 4 anos depois da criação dos poços de elevador, tornando-se oficialmente um museu. Entre os anos de 2001 e 2005, o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía foi ampliado pelo arquiteto francês Jean Nouvel, com o objetivo de criar um maior espaço expositivo, além de incluir a biblioteca e o auditório no projeto.